Aula da Saudade

Prof Emely falando sobre a turmaBem, tenho que agradece-la por me "socorrer" dois dias antes da aula da saudade

Elegância, sapiência, carinhosa, atenciosa, humilde, gentil, ética, enfim... Emely

Eu, Dinah Barreto, falando para a turma

Eu, falando para os professores
Textos
Aos professores
Professores passam, mas as marcas que deixam na vida permanecem, e é sobre essas marcas que irei me deter. Não há possibilidade de colocá-las em ordem e grandezas, afinal aprendemos que qualidade é o que importa e essa é a palavra que designo a todos vocês professores, todos no ensinaram com qualidade, cada um da sua forma, nos marcaram com simplicidade, aumentaram a nossa fé e a certeza de que tudo vale a pena se o aluno sente-se feliz.
Como é bom falar sobre os jeitinhos que vocês deixaram nesses 3 anos e 6 meses, pergunto a vocês, turma, ao escutarem “Conte-me tudo, não me esconda nada”, de quem irão lembrar? Tânia e assim recordaremos das aulas alegres, de garra e determinação, comprometimento, responsabilidade, “ai meu J”, são tantas recordações boas... E quando formos conversar com alguém ou tenhamos em nossa sala de aula uma Dudinha e um Pedrinho, pergunto novamente a turma, de quem vocês irão se lembrar? Márcia, e assim também lembraremos das tecnologias, dos TIC, informática, boi, vacas, leão, pois isso é com ela mesmo. O quadro-negro, também é uma tecnologia, mas tenho certeza que ao escrevermos uma tarefa de português, colocaremos em prática os ensinamentos de Niege, como também tentaremos colocar em prática a sua paciência ao ver a turma conversando, sua paciência Niege, ficou marcada. Não sairemos dessa aula de português, imagine que pedimos aos alunos frases que contenham verbo, e um dos pequenos responde: - “Tia, eu gosto de comer jambre”, tenho certeza que nos lembraremos de Roberta, recordaremos de seus ensinamentos, das suas gargalhadas gostosas, da sua simpatia e saberemos agir de forma adequada e ética. Eita, ética, ao escutar essa palavra, vem uma pessoa na cabeça e essa foi tida por todos como a elegante, pois é a elegante Emely, seu modo de ser e enviar no contexto escolar nos passa prudência, ética, sapiência e acreditamos que isso transpassa a sala de aula, aprendemos princípios e filosofia. E se tratando de filosofia, lembraremos do ato de pensar, dos filósofos que passaram da antiguidade aos dias atuais, dos sofistas a Selma Nóbrega e lembraremos de sua tranqüilidade e forma culta, sem nunca esquecer que todo conhecimento é gerador de outro.
Apego-me a palavra conhecimento, me veio em mente Peter Drucker, referencia na área administrativa e é lógico que associo a Arnott, tenho certeza que seu modo calmo e tranqüilo e tudo que nos ensinou ficaram registrado e abriram as nossas mentes quanto às novas formas de gerenciamento, “O jovem”, devemos ficar sempre atento as novas tendências, é Arnott, esse termo jovem ficou marcado, espero que sempre tenhamos esse espírito jovem, que é vivo dentro de Marcione, sendo um exemplo para nós, deixando registrado que devemos ter em mente uma missão e visão, uma visão que gire em torno de 360 grais, para poder abranger o Maximo possível e se tratando de abranger podemos contextualizar com inclusão, onde aprendemos que não existe um grupo homogêneo, que existe uma abrangência que envolve todas as raças, etnias, os ditos “normais” e os portadores de necessidades especiais e quanto a esse ultimo termo, o ligaremos a duas professoras, Neulia e Ana Flavia, somos gratos as duas por mudarem o nosso olhar quanto a inclusão. Neulia, com seu jeitinho meigo, cativante, carinhoso, nos ensinou a ajudar o próximo sem vê a quem. Ana Flávia também com o mesmo jeitinho meigo, cativante, com um sotaque gostoso, não é verdade “Eduaaaaaarrrrrrdooo?” e uma gargalhada maravilhosa, nos ensinou a dirigir projetos em trono da inclusão, tenho certeza que o realizado no CAIC ficará pra sempre nos nossos corações, sem contar que sempre nos deu oportunidade quanto à monitoria em eventos e é valido salientar que, sempre tornou o ambiente de trabalho agradável. Agradável é Nádia, nos marcou com uma paciência sem igual, reconhecendo os esforços dos alunos, ensinando que avaliação é um ato amoroso, como também o ensinar e isso é visto em sua pratica, também nos ensinou a ter um olhar diferenciado ao educando.
No decorrer desses 3 anos e meio realmente aprendemos com todos você a ter um olhar diferenciado em várias áreas, como já foi citado, português, filosofia, inclusão, avaliação. Mas também aprendemos a ter esse olhar nas políticas publicas, tivemos grande aprendizagem sobre o sistema publico, entendo todo o processo que gerou a globalização, e esse termo só podemos lembrar de Nina, eu deixou muita saudade, como também simpatia, alegria, carinho e um jeito amigável. Porém, de políticas publicas, também recordaremos Ana Abranches, como também o seu modo de ver a turma, o apoio que foi constante em todos os momentos, aprendemos com ela que faz parte da vida ajudar o próximo, pois isso ela fez conosco e mesmo não estando presente, ajuda a quem chega pedindo, dá conselhos e abre a mente para o futuro, mostrando-se assim uma amiga. A palavra amiga, pode significar aquela pessoa que esta ao seu lado, lhe faz rir, brincar, que diz o sim quando é preciso, mas também sabe dizer um n ao na hora devida, que lhe dá uma abraço reconfortante, mas também sabe puxar a orelha e essa é Ediana, que além de contribuir e, ter,os de teoria, foi amiga Mas também existe outra pessoa que enquadramos nisso, essa pessoa sempre se dispôs a turma, qualquer problema era só ligar que ele resolvia, até atende fora do horário e esse é Marcus, nosso professor e coordenador, que além do citado, nos ensinou ter gosto por matemática.
Hummmmm, acredito que falei de todos, deixe-me pensar, ih caramba, estou com a impressão que esqueci alguém, “ih esqueci” mesmo, mas foi de propósito, turma, “ih, esqueci”, de quem é? Lucia Bahia, não tem como esquecer que essa frase é dela, mas não foi só isso que nos marcou, seu jeito eletrizante, alegre, simpático após os primeiros dias de aula, também ficou registrado em nossa mente.
Enfim, não posso falar de todas as marcas, se não, não sairíamos daqui, mas posso agradecer em nome de toda a turma a vocês, nossos mestres, por terem acrescentado conhecimentos básicos e necessários para o inicio e o caminho da nossa carreira, podem ter certeza, que por onde quer que formos levaremos o muito de vocês em nós.
Dinah Barreto

A turma

Nossos caminhos se cruzaram diante um ideal comum, junto fizemos descobertas, encaramos desafios e alcançamos conquistas; enfrentamos medo, incertezas e inseguranças, mas, sobretudo, tivemos sinergia, aumentando assim as alegrias.
Cada um que aqui se encontra como também aqueles que não poderão comparecer, ajudaram nessa jornada com intermináveis horas de estudo (assim quero acreditar), com trocas de conhecimento, noites mal dormidas preocupados com provas, trabalhos, levando-nos a extremo cansaço, que compartilhados, foram felizes.
Diante disso, temos um pouco do outro em cada um de nós. Agradeço as vocês e acredito que todos nós agradecemos uns aos outros, por tornar inesquecível a nossa formação, por tornar tão agradável nossa escolha: abnegação, dedicação, entrega... Agradeço por tornar doce e fascinante o aprendizado da vida, em particular, agradeço aqueles que confiaram em mim, me procurando, telefonando para tirar dúvidas, confiando nas minhas respostas, fazendo-me sentir útil.
Estamos acabando de vencer uma batalha, dentre muitas com as quais haveremos de nos deparar, estamos concretizando mais uma vitória, chegamos com a certeza de dever cumprido, porém não finalizado, pois sabemos que todo conhecimento é gerador de outro e que nosso conhecimento não seja um obstáculo à humildade, pois o desejo de ter sempre razão é o maior obstáculo às idéias novas.
Soubemos conviver e respeitar-nos ainda que nem sempre compartilhássemos as mesmas idéias. Lutamos, sobrevivemos, crescemos, acima de tudo, a saudade há de ficar, essas são inevitáveis.
Um para cá, outro para lá, e assim vamos nos separando, mas tenho certeza que tempo nenhum apagará o que juntos passamos, o que juntos vivemos.
Enfim, formos mais que colegas de classe, mas que alguém para fazer atividades juntos, mesmo que em grupinhos, fizemos parte de um cotidiano de cada dia de nossa caminhada, que está acabando aqui como alunos por força naturais, mas que não acabará como amigos por força de sentimento.
























1 comentários:

Mari 13 de junho de 2009 19:46  

A aula da saudade foi linda, vai ficar marcada em nossas mente td q vc fez foi perfeito vc Eduardo Polyana estão de parabens!

Postar um comentário

Fiquem a vontade para comentarem. Desde já agradeço a visita.. Um ótimo dia! Abç, Dinah Barreto

Dinah Brreto

Dinah Brreto

Seguidores

Subscribe to Feed